Quando começamos a Positive Ventures para investir em negócios que se propunham a trazer soluções decisivas para os desafios societais mais urgentes, como as desigualdades sociais crescentes e o desrespeito aos limites planetários, eram raros os investidores que sequer se atentavam às externalidades negativas de seus portfólios.

Enquanto preponderava a lógica orientada exclusivamente pela maximização de lucro através de modelos que incentivam o consumo pelo consumo, decidimos investir em negócios que enxergavam meios de solucionar problemas relacionados à biotecnologia, reciclagem, saúde, educação e inclusão financeira, atrelando seus retornos financeiros à missão de gerar benefícios diretos e mensuráveis para seus clientes, colaboradores, fornecedores e para a sociedade em geral. Esses negócios constituem o que é hoje denominado stakeholder capitalism.

Observamos nos últimos anos — com entusiasmo — a crescente preocupação e o engajamento de inúmeros atores do chamado mainstream financeiro com questões relacionadas ao acrônimo ESG, a tônica atual dos mercados. Contudo, a crise escancarou o que para nós já era evidente; é preciso dar um passo além da mitigação de riscos e contenção de danos, apoiando negócios com intencionalidade e real impacto positivo.

A Covid-19 mostrou a absoluta fragilidade financeira à qual grande parte da população mundial está sujeita e esse choque de realidade tornou evidente o que por anos pareciam estatísticas distantes; somos todos interdependentes, assim como os desafios aos quais estamos submetidos enquanto humanidade.

Como algumas das nossas empresas estão reagindo ao #Coronavírus

Assim que o vírus surgiu, nossa investida Labi Exames, que oferece exames médicos de qualidade a preço justo para 160 milhões de brasileiros sem plano de saúde, em parceria com um laboratório da Coréia do Sul, se tornou o primeiro laboratório no Brasil a disponibilizar os três exames para diagnóstico de Covid-19, com coleta domiciliar e sem a necessidade de pedido médico. Desde então, o Labi está realizando centenas de exames por dia, contribuindo ativamente para o achatamento da curva de contaminação, passo fundamental tanto do ponto de vista sanitário (herd effect), como para retomada das atividades econômicas.

A Letrus, que aplica inteligência artificial para melhorar o letramento no país (estima-se que no Brasil apenas 12% da população entre 15 e 64 anos de idade seja plenamente letrada), ao lado de outras importantes empresas do setor de educação, lançou o movimento Todos pela Educação Digital, possibilitando que professores e alunos possam dar sequência ao calendário escolar durante a fase de isolamento social.

Um olhar para o Futuro

Mais do que nunca, a missão da Positive Ventures segue firme e forte. É preciso contribuir para um modelo econômico no qual cada centavo em circulação esteja desencadeando efeitos positivos para a economia, sociedade e o planeta, desconstruindo de uma vez por todas a falsa dicotomia que separa o progresso econômico de uma sociedade mais justa socialmente e resiliente ambientalmente. De investimento em investimento, vamos alterando de forma decisiva o curso do rio pelo qual o capital do mundo flui, abrindo caminho para a transição rumo a uma economia que neutralize não apenas as emissões de carbono, mas redefina a própria ontologia do que é ser humano.

“Never doubt that a small group of thoughtful, committed citizens can change the world: indeed, it’s the only thing that ever has.”Margaret Mead

A Bcorp investment management firm focused on impact tech and purpose driven entrepreneurship.

A Bcorp investment management firm focused on impact tech and purpose driven entrepreneurship.